18/09/2019
28ºC Maceió, Parcialmente nublado
(82) 99620-8008

Notícias

24/05/2019 15:59
Justiça
Preso injustamente por mais de três anos é absolvido de crime em Major Izidoro
/ Reprodução

 Um homem que havia sido preso por homicídio qualificado no município de Major Izidoro, interior de Alagoas, foi solto depois de 40 meses detido, quando foi inocentado pela Justiça.


A informação foi divulgada nesta sexta-feira (24) pela assessoria de comunicação da Defensoria Pública. O nome do homem não foi divulgado.


Ele foi acusado de participação em um homicídio ocorrido na zona rural do município em 2016. Após o crime, um suspeito de ser o autor material foi condenado e liberado para responder o processo em liberdade, fugiu.


A defensoria comunicou que o foragido afirmava que o homem preso por engano teria sido contratado pela vítima para assassinar a ex-esposa, sogra e cunhado dele, mas que o plano teria dado errado e ele teria matado a vítima para não deixar provas.


Durante o julgamento, a defensora pública Bruna Rafaela Cavalcante Pais ressaltou que a única prova contra o seu assistido era o depoimento do outro suspeito, que continua foragido, prestado ainda no inquérito policial.


De acordo com a defensora, o depoimento era uma acusação não se sustentava. “O outro acusado criou uma história absurda e conseguimos refutá-la no plenário, provando que o nosso assistido é verdadeiramente inocente daquela acusação”, explica a defensora.


A defensoria informou que o homem estava em prisão preventiva e, no decorrer do processo, foi pedido sua liberdade em diversas oportunidades, inclusive com o ingresso de habeas corpus. No entanto, o Tribunal de Justiça preferiu manter o homem preso até o seu julgamento.


O Conselho de Sentença do Tribunal do Júri do município de Major Isidoro acatou a tese defendida pela defensora. O Ministério Público do Estado também pediu a absolvição pela insuficiência de provas.


Os jurados acataram a tese defendida pela defensoria a e absolveram o homem por reconhecerem a negativa de autoria.


Fonte: G1

Comentários

Utilize o formulário abaixo para comentar.

Ainda restam caracteres a serem digitados.
CAPTCHA
Compartilhe nas redes sociais:

Utilize o formulário abaixo para enviar ao amigo.

Justiça