18/09/2020
20ºC Maceio, AL Parcialmente nublado
(82) 99699-6308

Notícias

07/05/2020 20:23
Saúde
Hospital Regional Santa Rita presta homenagem póstuma ao Dr. Marcos Moraes
Médico oncologista era palmeirense e foi responsável pela instalação e o funcionamento efetivo do Centro Cirúrgico do HRSR. Seu trabalho é considerado como um divisor de águas na medicina de Palmeira dos Índios.
Dr. Marcos Moraes - Médico cirurgião oncologista / Reprodução
Roberta Sampaio - Assessoria HRSR

O Hospital Regional Santa Rita e Maternidade Santa Olímpia – Palmeira dos Índios, tem muito a agradecer ao Médico – cirurgião Dr. Marcos Moraes por sua importante contribuição enquanto fez parte do corpo médico da Instituição. Foram significantes os avanços alcançados pelo Hospital, especialmente na área cirúrgica, chegando inclusive a ser referência não só em Alagoas, mas em todo o Nordeste pela realização de cirurgias que nunca tinham sido feitas antes no Estado. Diante disso, o Hospital não poderia deixar de prestar a homenagem através de médicos e amigos que tiveram oportunidade de trabalhar e conviver com o Dr. Marcos Moraes. Destacando que, o HSRS já tinha feito outra homenagem, dando o seu nome ao Centro Cirúrgico da Unidade Hospitalar. Os depoimentos ratificam o quanto Marcos Moraes foi querido, admirado e respeitado pelos colegas e por toda classe médica pelo brilhante cirurgião que teve uma visão de medicina diferenciada e inovadora.

 

 

"Dr. MARCOS FAZ PARTE DA HISTÓRIA DESTE HOSPITAL, SENDO UM DOS NOMES QUE NOS ORGULHAM E NOS MOTIVAM"

Dr. Pedro Gaia – Provedor do HRSR


Quero destacar o pioneirismo do trabalho realizado por Dr. Marcos Moraes no Hospital Regional Santa Rita, instituição da qual tenho orgulho de fazer parte e estar Provedor. Não posso deixar de ressaltar minha admiração pelo médico que, junto com Dr. Emílio Silva, Dr. Remi Maia e demais colegas da época, revolucionou a medicina em Palmeira dos Índios por meio dos importantes feitos, em especial na parte da cirurgia. Podemos afirmar que Dr. Marcos faz parte da história deste hospital, sendo um dos nomes que nos orgulham e nos motivam a sermos melhores profissionais, melhores gestores e principalmente melhores seres humanos.


Foram múltiplas as frentes com que Dr. Marcos Moraes lidou no universo da Oncologia, seja como médico, seja como gestor de instituições nesse campo da saúde. A medicina brasileira e de modo geral a oncologia perde, sem sombra de dúvida, um grande profissional. Moraes era considerado como um dos luminares e referência no estudo oncológico. Detentor de vários títulos, o médico palmeirense teve destaque nacional, principalmente no Rio de Janeiro, onde morava. Moraes realizou inúmeros trabalhos científicos, sem falar na sua excelente reputação junto à Associação Brasileira de Cirurgia Oncológica, onde é um dos seus mais ilustres membros.


Sua contribuição para o Hospital Regional Santa Rita foi dada e o nosso sentimento é de gratidão e reconhecimento. A nós, cabe agora dar continuidade ao trabalho de Dr. Marcos e de todos os outros que passaram por esta instituição e ajudaram a erguer e dar condições para que conseguíssemos chegar até hoje prestando os nossos serviços a população palmeirense e da região. Ao tempo que aproveitamos para dizer que seguimos buscando as melhorias, o crescimento e desenvolvimento do nosso hospital, cumprindo o nosso papel social, profissional e principalmente o de buscar salvar vidas.

 

"DR. MARCOS TRANSFORMOU COMPLETAMENTE OS CONCEITOS DE CIRURGIA E DE HOSPITAL"
- Dr. Emílio Silva


O Dr. Marcos Moraes foi um dos grandes cirurgiões deste País, sendo um palmeirense que praticamente deu a vida pela medicina e que estruturou a cirurgia no Hospital Regional Santa Rita. Conheci Marcos Moraes ainda no Colégio Pedro II, no Rio de Janeiro e nos reencontramos quando fazíamos residência médica no Hospital Adventista Silvestre (RJ). Na sua vinda à Palmeira dos Índios, mantivemos contato. Marcos deu o pontapé inicial, transformando completamente os conceitos de cirurgia e de hospital, não só no nosso município, mas com reflexo muito grande em todo estado de Alagoas e no Nordeste, de modo que nós nos antecipamos a muitas coisas aqui no estado.


Quando terminei minha residência médica vim para Palmeira e fiquei morando na casa dele durante dois anos, até que me casei com uma palmeirense e sai da casa dele para minha casa, após o meu casamento. Trabalhamos juntos no Hospital Santa Rita e participamos de várias cirurgias, um auxiliando o outro. Realizamos inclusive algumas cirurgias que nunca tinham sido feitas antes em Alagoas. Marcos Moraes proporcionou tudo isso a Palmeira, inclusive sendo o responsável pela nossa vinda ao município.


Um fato importantíssimo a ser destacado é que a instalação e o funcionamento do Centro Cirúrgico do Hospital Regional Santa Rita passou realmente a ter um funcionamento mais efetivo com a vinda do Dr. Marcos Moraes. Então, podemos dizer que ele foi um divisor de águas na medicina de Palmeira dos Índios. E, para a nossa felicidade, o Hospital passou a ser referência não só em Alagoas, mas em todo o Nordeste.


Nós que fazemos este hospital continuamos sempre lutando e através dos profissionais liberais, dos que dirigem o Santa Rita, nos mantivemos até hoje atendendo da melhor forma possível a toda população deste município. Estendemos, ampliamos, abrimos o leque desses atendimentos para as entidades que vem surgindo através dos tempos, como foi o caso do INPS, Funrural - que hoje é o SUS. E nós fomos crescendo, passo a passo, melhorando e aumentando o nosso Hospital. E essa semente plantada pelo Dr. Marcos Moraes, tomou sua pujança, ocupou o seu espaço.


No entanto, Palmeira dos Índios se tornou pequena para os sonhos dele. Recordo quando o mesmo dizia que pretendia voltar ao Rio de Janeiro e se fixar como cirurgião lá. E assim o fez. Voltou a trabalhar no Hospital Silvestre e, em seguida, foi fazer residência médica nos Estados Unidos, se especializando em Oncologia. Com o seu regresso para o Rio de Janeiro, ele continuou no Hospital Silvestre e no Hospital Samaritano, que nessa época era um dos grandes hospitais do RJ, tendo uma equipe muito coesa e capacitada.


Depois disso, Dr. Marcos foi ser o chefe de cirurgia no Hospital São Lucas, passando inclusive a dirigir o Centro Cirúrgico. Posteriormente, com a projeção do seu nome, Marcos passou a ser professor de Cirurgia da Universidade Gama Filho, e assumiu vários cargos importantes. Ele dirigiu por muitos anos o Instituto Nacional de Câncer (INCA) que era o maior Órgão de referência de Cirurgia Oncológica do Brasil.


Sua vida profissional foi culminando com outros cargos importantes, como ser um dos dirigentes da Academia Brasileira de Cirurgia, que é considerada pela classe médica o órgão de maior status. Foi eleito também Presidente da Sociedade de Oncologia no Brasil, e ainda presidente Internacional de Oncologia, com sede em Bruxelas.


A trajetória profissional do Dr. Marcos muito nos encanta e nos orgulha, não só como palmeirense, ou como participante do Hospital Regional Santa Rita que teve, podemos dizer, o seu nascedouro, com a sociedade de Palmeira dos Índios, onde se destacaram Noé Simplício, João Neto de Medeiros, sendo este último Provedor do Santa Rita por mais de 20 anos.


Lamentavelmente estamos saudosamente consternados com o falecimento de Dr. Marcos. Ele foi realmente muito importante na medicina, na cirurgia do País e muito mais para o Hospital Santa Rita e para Palmeira dos Índios. Deixo os nossos sentimentos a sua família.


 

"FOI UM EXCELENTE PROFISSIONAL. INTEIRAMENTE DISPONÍVEL PARA TRANSMITIR SEUS CONHECIMENTOS E SABEDORIA"
- Dr. Sebastião Lessa Neto


Falar sobre Marcos Moraes é muito fácil, primeiro, porque o conheci quando meu pai - João Neto de Medeiros - era Provedor do Hospital Regional Santa Rita e eu ainda estudante de medicina. Era notável sua capacidade de excelente cirurgião, tinha feito sua residência médica no Rio de Janeiro e veio para Palmeira dos Índios. Passou um bom período realizando grandes cirurgias no Santa Rita e conseguiu reunir todos os colegas médicos clínicos que tinha na cidade para que participassem do corpo clínico, cirúrgico e obstétrico do Hospital.


Esse foi um dos grandes méritos que posso citar como exemplo do Dr. Marcos Moraes, em ter conseguido associar os colegas médicos para que juntos construíssem, tornando assim, mais fácil de colaborar um com o outro para edificar a medicina de Palmeira dos Índios.


Em segundo, porque tive oportunidade, após minha formatura em medicina, de fazer residência no Hospital Adventista Silvestre, onde reencontrei o Dr. Marcos Moraes quando ele retornou de sua viagem aos Estados Unidos, após seu aperfeiçoamento em cirurgia oncológica. Foi quando estive junto dele em sua primeira cirurgia – uma mastectomia – como seu primeiro auxiliar.


Dr. Marcos me deu essa grande oportunidade, foi um excelente profissional, sempre nos orientou, estando inteiramente disponível para transmitir seus conhecimentos e sabedoria.


Dentro desse processo todo, vale ressaltar que na época, nós não tínhamos acesso à todos esses meios de comunicação que temos hoje e facilitam muito. Mas, mesmo assim, sempre nos comunicávamos e nos encontrávamos, por exemplo, em vários Congressos e também no hospital onde fizemos residência e sempre nos aprimorávamos lá.


Após o falecimento de meu saudoso pai, tive oportunidade de ser também Provedor do Hospital Regional Santa Rita. Foi quando construímos um novo Centro Cirúrgico e prestamos a nossa homenagem dando a ele o nome do Dr. Marcos Moraes. Essa foi uma forma que encontramos de agradecer a esse grande médico por ele ter sido um brilhante cirurgião, além de um grande gestor, que teve uma visão de medicina diferenciada e inovadora.


Então, resta-me dizer que Marcos Moraes foi um exemplo em todos os sentidos: como homem de caráter, como profissional e, acima de tudo, um ser humano que sempre observava o lado humilde das pessoas.


Finalizo com meus sinceros sentimos aos familiares do nosso brilhante Dr. Marcos, em nome do Hospital Regional Santa Rita e em especial da minha família - Sebastião Lessa Neto – desejando que ele esteja em bom repouso ao lado do pai eterno.

 

“PERDI UM GRANDE AMIGO, PALMEIRA DOS ÍNDIOS, UM CIENTISTA DA MEDICINA. VAI FAZER MUITA FALTA”
Dr. Ivan Barros – Promotor de justiça aposentado e escritor

 

Marcos Morares foi um gênio da medicina, mestre em oncologia. Operava milagres. Palmeirense, filho do comerciante Osório Moraes e Djanira Oliveira. Casou-se com Cacá Medeiros, filha de José Medeiros, dono de uma padaria na Praça das Cassuarinas. Era pai de dois filhos e dois netos e um combatente incansável contra o Fumo. É membro da Academia Palmeirense de Letras.


No hospital em Ipanema (RJ), atendeu a meu pedido vários conterrâneos que iam em busca de saúde e emprego. Viveu fora do País, onde realizou inúmeras pesquisas que o consagraram no mundo científico-médico.


Quando retornou ao Brasil, o recebi certa vez na revista Manchete, entrevistando-o. Muitas vezes tomamos chopp, saboreando o famoso filé do Café Lamas, no Largo do Machado, onde relembrávamos de Palmeira dos Índios.


Ao ser informado do seu falecimento, aos 84 anos de idade, contaram-me que ele, no leito do hospital, pedia para abreviar o seu sofrimento, desligando os aparelhos que os mantinha vivo.


Perdi um grande amigo, Palmeira dos Índios, um cientista da medicina. Vai fazer muita falta.


Sugiro que a Egrégia Câmara de Vereadores aponha, por Lei, uma placa denominativa “rua Dr. Marcos Moraes”, na rua Major Cícero de Góes Monteiro, onde ele morou durante muito anos. É uma maneira pela qual o povo palmeirense, através de seus vereadores, manifestará a nossa gratidão e a nossa eterna saudade. Justiça seja feita.

 

 

 

Comentários

Utilize o formulário abaixo para comentar.

Ainda restam caracteres a serem digitados.
CAPTCHA
Compartilhe nas redes sociais:

Utilize o formulário abaixo para enviar ao amigo.

Saúde